Portal Chespirito

Rubén Aguirre critica companheiros e revela vontade de encontrar Chespirito


Por Gustavo Pereira 29/10/2014 | 2 comentários

Rubén Aguirre durante gravação para a Telemundo (Reprodução)

Em entrevista gravada na última sexta-feira (24), a primeira após duas semanas de internação na Cidade do México, Rubén Aguirre, o Professor Girafales, criticou os intérpretes de Quico e Chiquinha por continuarem trabalhando após o fim da série Chaves, que se deu há duas décadas.

"Se meus companheiros seguem trabalhando é porque devem estar precisando de dinheiro, algum problema devem ter. Ou devem estar acumulando", afirmou o Mestre Linguiça ao programa Al Rojo Vivo, da rede hispânica Telemundo.

O ator admitiu ainda, ao ser indagado se gostaria de estar trabalhando, que tem pena dos antigos companheiros de profissão: "Deus me livre! Eu já estou aposentado. (...) É uma pena que Maria Antonieta [de las Nieves, a Chiquinha] e Quico [Carlos Villagrán] continuem trabalhando nesta idade. Alguma coisa os faz resignar a dizer: 'acabou'. Tenho pena deles".

Carlos Villagrán, que completou 70 anos em janeiro, continua a apresentar-se como Quico, após arrepender-se da aposentadoria anunciada em 2013. Em outubro, trouxe seu espetáculo ao Brasil, com shows nos estados de São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul. Maria Antonieta de las Nieves, com 63 anos, apesar de enfrentar problemas cardíacos e fibromialgia, anunciou uma turnê pela América do Sul em novembro.

Rúben Aguirre revelou ainda um acordo que fez com Chespirito, criador e intérprete do menino Chaves, enquanto esteve internado. "Fizemos um acordo muito difícil de cumprir, de nos vermos logo. É difícil porque ele mora em Cancún, e eu em Puerto Vallarta".


Livro de Maria Antonieta de las Nieves, a 'Chiquinha', poupará críticas a Chespirito


Por Gustavo Pereira 17/10/2014 | Nenhum comentário


Maria Antonieta de las Nieves, a Chiquinha, afirmou que sua recém-anunciada autobiografia não contará com críticas ou considerações pessoais sobre Roberto Gómez Bolaños. "Minha vida artística tem sido tão rica, tenho 63 anos e ainda continuo aqui", disse, considerando que sua relação com o ator intérprete de Chaves não é um assunto que gostaria de abordar com importância.

A atriz briga na justiça pelos direitos autorais da 'Chiquinha', a qual interpretou por mais de duas décadas. Por este motivo, não foi viabilizada a participação da personagem em nenhuma das temporadas do desenho animado 'Chaves'. Os atores não se falam.

Questionada ainda sobre a previsão de lançamento, Maria Antonieta afirmou que o livro está pronto, mas ainda enfrenta burocracias para colocá-lo no mercado. "Achei que seria mais fácil. É um processo muito demorado, mas os avisarei quando estiver pronto."


Confira participação de Carlos Villagrán, o Quico, no 'The Noite'


Por Gustavo Pereira | Nenhum comentário


Carlos Villagrán, o Quico, foi o convidado especial da noite de ontem (16) no talk show 'The Noite', apresentado por Danilo Gentili.

O ator cômico brincou com a plateia, imitou - além, é claro, do bochechudo 'Quico' - vilões que interpretou em 'Chapolin Colorado' e fez um emocionante relato sobre seu último encontro com Ramón Valdéz, o Seu Madruga, morto em 1988.


“Chaves” perde espaço na programação do SBT


Por Gustavo Pereira 09/10/2014 | Nenhum comentário

Com a estreia de novas atrações, o seriado “Chaves” terá, a partir do próximo final de semana, seu tempo de transmissão reduzido na emissora do baú.

O reality “Cozinha Sob Pressão” será apresentado às 18h do próximo sábado. Desta forma, “Chaves” passará a ter apenas uma curta exibição, entre às 19h e 19h15. No domingo, é a estreia de “Mundo Pet” que encurta a transmissão do seriado, que passará a ser exibido a partir das 9h45 às 10h.

Os demais horários de transmissão permanecem inalterados.


Maria Antonieta de las Nieves, a Chiquinha, lançará autobiografia em 2015


Por Gustavo Pereira 02/10/2014 | Nenhum comentário


Maria Antonieta de las Nieves, intérprete da Chiquinha no seriado “Chaves”, anunciou que publicará um livro em que narra os momentos de glória e tristeza de sua carreira. Segundo a atriz, a obra será lançada no início de 2015 com o título “Había una Niña en una Vecindad” (“Era uma vez uma Menina em uma Vizinhança”, em tradução livre).

“Falo de minha vida pessoal, das coisas que aconteceram comigo, das que me doeram mas também das que me alegraram infinitamente. Das pessoas que gosto muito, das que admiro e também coisas tristes que me aconteceram”, resumiu Maria Antonieta, em entrevista à agência Reforma.

O livro começou a ser escrito em 1999, e um ano depois, Maria Antonieta concluiu o trabalho. Mas ao tornar-se avó e perder os pais e dois irmãos, percebeu que sua vida tinha mudado substancialmente e que ainda tinha muito para contar.

“Há coisas fortes, como a morte de meus pais, de minha irmã, que era minha única amiga, aos 19 anos, e depois de meu irmão no terremoto. Foi muito difícil também. Meus grandes amigos morreram, foram muitas perdas e coisas que você não acha que vão acontecer.”

Maria Antonieta de las Nieves acrescentou que não precisou pedir permissão para citar os conflitos com os companheiros no seriado humorístico “Chaves”, pois considera que somente abordou assuntos que vivenciou e a afetaram.

“Vou dizer todas as coisas que me doeram dentro do programa, e não ofendo a ninguém porque é a verdade. Não falo de coisas que ninguém saiba, apenas escrevo como isso me doeu. Edgar Vivar terá sua razão, mas não me meto em sua vida. Assim como Rubén Aguirre, mas tenho sentimento por ele porque achei que éramos muito amigos e o brindei com a minha amizade, e depois ele me fez de tonta na Argentina, e aqui mesmo, no México, e eu não entendo.”


Tags: